Profissional que cuida e organiza um repositório ou coleção de qualquer espécie de documentos ou outros materiais, como manuscritos, fotografias, correspondência,arquivos digitais etc.

o Que é?

Arquivistas são profissionais responsáveis por analisar e organizar documentos públicos e privados de cunho histórico, governamental, administrativo, científico ou literário, gravações sonoras e filmes. Organizam segundo sua origem e outros critérios, e dando-lhes tratamento técnico sistematizado para armazená-los em arquivos adequados, permitindo a recuperação eficiente de toda informação registrada produzida ou recebida por uma instituição no decorrer das suas atividades, facilitando sua consulta e evitando que se deteriorem. Implementam sistemas de arquivos e de informação em instituições públicas e privadas.

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS NECESSÁRIAS?

O Arquivista precisa ter senso de observação e interesse por atividades burocráticas, ser meticuloso, organizado, metódico e ter habilidade para o trato com o público. Características desejáveis: atenção a detalhes boa visão capacidade de concentração capacidade de lidar com o público capacidade de organização método perseverança

QUAL A FORMAÇÃO NECESSÁRIA?

Para desempenhar a profissão de arquivista é necessário curso superior em arquivologia, que tem duração de quatro anos. Conhecimento de informática e inglês são fundamentais. Conhecimento de outras línguas também ajuda e é muito valorizado.

PRINCIPAIS ATIVIDADES

As principais atividades dos arquivistas são: organizar documentos, avaliando seu grau de importância para decidir o tempo de arquivamento adequado; estudar sistemas de arranjo dos documentos, identificando-os, codificando-os e padronizando-os; preparar catálogos, índices, cópias em microfilmes; redigir resumos descritivos do conteúdo dos documentos arquivados; atender pesquisadores, orientando-os sobre a correta utilização dos documentos; permutar informações com outros centros de documentação; localizar material extraviado; organizar sistema de transferência de pastas entre arquivos corrente, intermediário e permanente; providenciar reproduções para poupar documentos mais solicitados, os que se encontram em mau estado de conservação ou os que possuem grande valor; encarregar-se da restauração do material que se encontra deteriorado, utilizando técnicas, materiais e conhecimentos específicos, para devolver-lhes as condições originais; realizar pesquisas sobre documentos dos arquivos.

ÁREAS DE ATUAÇÃO E ESPECIALIDADES

Gestão de documentos: administração de arquivos de instituições e empresas, avaliação de material, incluindo sugestões para mudanças na redação de textos. Pode também decidir sobre o arquivamento ou destruição de documentos, trabalhando em conjunto com os setores administrativo, jurídico ou histórico das instituições; Racionalização de documentos: classificação e ordenação de documentos, relacionando-os em guias, catálogos ou índices de consulta; Conservação e restauração: recuperação de documentos danificados utilizando técnicas especiais; Difusão educativa e cultural de arquivos: orientação a estudantes, pesquisadores e público em geral na consulta de documentos históricos em museus e bibliotecas.

MERCADO DE TRABALHO

O mercado de trabalho para arquivistas é ainda pequeno, porém promissor, principalmente nas grandes cidades. Não são muitos os arquivistas em atividade, mas o número de formandos que ingressam anualmente no mercado vem crescendo. É uma profissão relativamente nova – os cursos de graduação datam do final dos anos 70 — que vive um período de crescimento devido, principalmente, ao grande volume de informações geradas atualmente por empresas e instituições, e pela consequente necessidade de cuidar da avaliação e organização de seus acervos. Na região Sudeste, as instituições públicas são as que mais absorvem mão-de-obra, enquanto no Sul e no Centro-Oeste a procura maior é das empresas privadas e de consultoria. Nos últimos tempos tem sido comum a terceirização do serviço de arquivistas: as empresas contratam profissionais por um período determinado para avaliação e organização de seus acervos e, posteriormente, firmam contratos para manutenção dos mesmos, sem ter com o arquivista um vínculo empregatício. É grande o potencial para crescimento do mercado já que toda instituição produz e recebe informações registradas sob os mais variados suportes, as quais farão parte do acervo de seus arquivos. A presença atuante de um arquivista é necessária para a não formação de massas documentais acumuladas, sem tratamento e de difícil recuperação da informação.

CURIOSIDADES

A tentativa de criar um curso de arquivologia começou na década de 70, no Distrito Federal. Porém, o Curso de Bacharelado em Arquivologia só começou a funcionar em 1991, no Departamento de Biblioteconomia, que mudou de nome para Departamento de Ciência da Informação e Documentação. O seu reconhecimento pelo então Conselho Federal da Educação se deu em 1995. Atualmente, o arquivista é responsável pelo gerenciamento da informação, gestão documental, conservação, preservação e disseminação das informações contidas nos documentos.

Fonte: ABB

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *